11 99659-7705 ou 4702-3097
Florença

Florença

IMG_0043

Localizada na região da Toscana, berço do Renascentismo italiano, terra de Dante Alighieri, Florença é uma cidade que impressiona pela sua beleza, sua história e seu passado cultural. As ruas e vielas exalam cultura e história da humanidade a todo o tempo. Cerca de 30% do patrimônio cultural da Itália, está localizado em Florença.

IMG_0021IMG_0044

A cidade foi governada pela Família Médici desde o início do século XV até meados do século XVIII. Tem grande ligação com a comunidade judaica , tanto que a  Grande Sinagoga de Florença, também conhecida como Tempio Maggiore (“Templo Principal”), é considerada uma das mais belas da Europa.

A cidade também é cenário de obras de artistas do Renascimento, como Michelangelo, Leonardo da Vinci, Giotto, Botticelli, Rafael Sanzio, Donatello, entre outros.

Vinhos 

Florença está localizada na região de Toscana, região importante de vinhos da Itália. Entre  as regiões proximas a Florença temos a de Chianti e também Montalcino, onde produzem os Brunellos e os vinhos de Montepulciano com as  uvas Sangiovese. Região também dos super-toscanos ,vinhos maravilhosos , de produtores como o Gaja, Sassicaia, Antinori e etc .

IMG_0036

IMG_0035

 

 

 

Tudo isto combinado, com a culinária, com os queijos, duros , como o Grana Padano. Os molhos de tomate, carnes , e massa , onde o vinho combina e ressalta perfeita a comida .

O símbolo do vinho Chianti é o galo negro. Com relação a isso temos uma história que se tornou lenda . Segundoo que conta a história, Florentinios e Sienenses rivalizavam entre si pelo território e pelo direto de utilizar o nome Chianti. Então teriam feito uma aposta : dois cavaleiros sairiam de Florença e de Siena ao “cantar do Galo” e o ponto de encontro iria definir o limite entre as duas cidades. O povo de Siena, escolheu um galo jovem e saudável para disputa e os Florentinos, optaram por um Galo Negro, magro e mal alimentado. O Galo Negro Florentinho, acordou mais cedo, pois tinha fome, e o cavaleiro de Florença, partiu primeiro .  Como o cavaleiro de Siena saiu depois ,o  ponto de encontro foi Marcado bem mais perto de Siena .Então, Florença ficou com um grande território e também  o direito de usar a designação

Chianti para produzir seus vinhos.IMG_0031IMG_0038

Entre os maiores e melhores produtores da região , podemos destacar, Fontoldi, Catello di Ama,Antinori,Alegreti,Roca della Macie,. A região oferece muitos passeios e degustações em vinícolas , e também passeios de bicicleta na rota do Chianti

 

Vinhos do Alentejo

Vinhos do Alentejo

 

O Alentejo é a maior província de Portugal, tem cerca de 1/3 do território, mas é pouco populoso. Há vários tipos de agricultura na região,mas a rolha é um dos produtos mais importantes. Nas planícies temos o plantio de vinhas verdes. Um dos problemas é a baixa pluviosidade no verão. Com isto, a irrigação é considerada fundamental.

As duas principais uvas cultivadas no Alentejo, são : a Aragonez e a Trincadeira. Elas produzem vinhos supermaduros, de sabores atraentes e fáceis, caindo no gosto do mercado. Grandes produtores como Cartuxa,Esporão,Redondo e Reguengos fazem vinhos consistentes , que não podem ser reproduzidos no norte do país.

Atualmente toda a província é coberta pelo vinho regional alentejano, com 8 classificações DOC : Portoalegre, Borba,Redondo, Évora,Reguengos,Granja-amareleja, Moura e Vidigueira. Todos os produtores desta região podem colocar no seu vinho a denominação Alentejo.Na região também são produzidos dois bons vinhos brancos com as uvas Antão Vaz e Roupeiro._dsc8019-jpg_backup

Os solos da região são compostos de vários tipos, como : xisto,base de granito e pedra calcárea. As uvas  tintas mais plantadas são : Aragonez, Tricadeira, Cabernet Sauvignon,Castelão, Moreto,Syrah,Alicante Bouschet. Entre os brancos temos : Antão Vaz, Roupeiro,Diogalves, Manteudo,Perrum e Chardonnay.

A Herdade do Esporão é talvez o produtor de maior destaque. Com 550 HA de vinhas, são produzidas cepas locais supermaduras e o vinho resultante tem sabor maduro e mentolado lembrando os vinhos tintos do novo mundo. Sua principal marca, Monte Velho, se destaca pela consistência e regularidade e é facilmente encontrada nas lojas do Brasil. Seu preço também é acessível, cerca de R$ 50,00, pela garrafa.

Vinhos Maravilhosos

Vinhos Maravilhosos

Há vinhos e vinhos. Mas alguns  são inesquecíveis . É o caso destes três que provei há alguns dias atrás. Chateau Latour  1970, Chateau Palmer 2001 e Champagne  Cuvée William Deutz, 1996. Antes um pouco de história sobre os produtores .

Champagne Cuvée Willian Deutz – 1996- produtor da região de Ay, fundada em 1838. Este Cuvée  é um dos melhores Champagnes da fantástica safra de 1996. A coloração é dourada brilhante. Intenso perlage com bolhas pequenas e delicadas. Aromas de frutas frescas brancas como pêssego e toques florais. Na boca , se mostra com bom corpo, com final elegante , com toques de mel e frutas como pêssego, e pêra. Mesmo com 18 anos , estava espetacular, exibindo toda a personalidade de Deutz.20140203_081107

Chateau Latour – Vinho clássico de Pauillac , principalmente de Cabernet Sauvignon, cerca de 80%,. A região tem solo profundo de cascalho o que contribui para um vinho estruturado, fresco.Talvez seja o mais longevo dos premiers crus. Aromas de cassis , cedro, ameixas pretas. Na boca vinho equilibrado, boa acidez, taninos macios ,  frutas negras como o cassis e ameixas. Mesmo este vinho de 1970 estava maravilhoso. Para ser tomado sem acompanhamentos pois ele próprio se basta. Vinho muito equilibrado.

Chateau Palmer – situado na região de Margaux, esta vinícola foi criada pelo Major inglês, Charles Palmer, que hoje pertence a um consórcio de empresas holandesas e inglesas e francesas. Recebe uma grande quantidade de Merlot em seu blend. A safra 2001 , que degustamos está entre uma das suas melhores. Aromas de frutas negras, cassis, defumado e couro. Na boca, vinho encorpado, bastante frutas negras, toque de tabaco. Vinho maravilhoso, que mesmo tendo cerca de 12 anos, ainda segura muitos outros na garrafa, pois tem muita fruta em sua estrutura. Harmoniza bem com pratos como carne assada, gordurosos.

Qualquer encontro com estes vinhos será uma grande  e inesquecível experiência.

20140201_134135

 

 

Vinhos , Espumantes e Temperaturas

Vinhos , Espumantes e Temperaturas

 

 

As pessoas quando vão tomar um vinho ou espumante  ficam se perguntando qual a melhor temperatura para este ou aquele. Realmente, apreciar um vinho na temperatura certa , faz toda a diferença. Mas também não podemos tornar isto uma obsessão, e estragar um momento agradável com amigos, uma festa ou recepção.

O profissional, somellier , tem obrigação de conhecer as temperaturas certas e fazer o serviço corretamente. Mas o consumidor , ou enófilo, não. Este , quer tomar o vinho que mais lhe agrada e fazer daquele gesto um  momento de prazer. São para estes  admiradores do vinho que quero falar sobre as temperaturas ideais para tomá-los .

Champagnes, Espumantes  e vinhos Rosés e de Sobremesa ;  de 6 a 8 graus.

Vinhos Brancos ; de 9 a 12 graus

Vinhos Tintos Jovens e Frutados ; de 14 a 16 graus.

Vinhos Tintos mais encorpados ; de 16 a 18 graus .

Como na maioria das vezes não temos como verificar estas temperaturas, vamos usar algumas regrinhas básicas para que o seu vinho ou seu espumante seja servido dentro da faixa ideal de temperatura.

O balde com gelo deve ser preparado com duas partes de gelo para uma parte de água.

Os espumantes e rosés podem ser gelados antes na geladeira e depois colocados no balde com gelo  , onde deverão permanecer até o momento de servir. Após abertos se não forem consumidos totalmente , devem ser conservados no gelo durante o serviço.

Os vinhos brancos  e de sobremesa podem ser resfriados antes em uma geladeira e depois colocados no balde de gelo. Deve-se colocar no balde de gelo somente a quantidade a ser bebida, pois estes vinhos descolam o rótulo facilmente e ficam sem identificação.

Quanto ao vinhos tintos não devem ser resfriados em baldes de gelo, mas sim em um balde de água fria ou gelada, para os vinhos jovens. Já os mais encorpados pedem uma temperatura mais elevada e não necessitam gelar.

Dicas :

luis_roederer

Em dias muito quentes os vinhos tintos mais encorpados podem ser mantidos em um balde de água em temperatura ambiente ou fresca , somente para não esquentar muito.

Coloque sempre a mistura água e gelo no balde , pois somente o gelo não gela a garrafa completamente, mas somente no local onde entra em contato.

O ideal para os espumantes é que se coloque no balde de gelo cerca de 40 minutos antes de servir. E sempre que formos servir o vinho utilizar um pano , pois a garrafa fica escorregadia , além de pingar água em nossos convidados.

Agora , vamos aos vinhos e saúde.

 

 

 

ST -Émilion , Vinhos mais Frutados

ST -Émilion , Vinhos mais Frutados

 

 

A vinha é cultivada nesta região desde o tempo dos romanos. São 9 localidades, incluindo a cidade de St-Émilion. O solo composto na maioria por calcário e argila é mais apropriado para o cultivo da Merlot. A uva Cabernet Franc, também é plantada na região e entra em alguns cortes.

Normalmente os vinhos de St-Émilion, são mais frutados, e frescos e os melhores tem ótima estrutura tânica com capacidade de envelhecer. Sendo os mais novos escuros e concentrados.

Em St-Émilion, temos duas classificações. A AOC ST-Émilion e AOC ST-Émilion Grand CRU. Apesar de serem localizadas na mesma região geográfica, para ser considerado um  Grand Cru,o vinho deve ter o teor alcoólico  mais alto, as safras  menores e  a  aprovação de dois comitês .20131024_111748

St –Émilion conta hoje com 4 Grand Crus Classes : Château Angelus, Château  Ausone, Château Cheval Blanc, Château Pavie.

Outros excelentes vinhos tem a classificação Premier Grands Crus Classes , entre eles , Château Beauséjour, Château Canon , Château Canon de La Gaffeliére, Château Tropolong  Mondot, Château La Mondotte, Château Valandraud. Em anos mais recentes , a região teve a expansão dos vinhos boutique , ou vinícolas  ” garage “. Este termo é designado para os vinhos produzidos em pequenas propriedades , com boa qualidade e em quantidades limitadas.

Ao lado  de St-Émilion, há as regiões satélites que usam o nome, tem o solo parecido , mas o ciclo de maturação da uva é mais tardio e portanto produz  vinhos de estilos semelhantes, porém mais rústicos. Destaca-se a AOC Lussac-St-Émilion com vinhos de melhor qualidade da região.

Os vinhos de St-Émilion, são frutados, macios, de taninos muito equilibrados e ótima acidez. Harmonizam muito bem com carnes assadas, carnes de caça, pratos com mais gordura. Ou são ótimos para serem bebidos sozinhos, pois são muito agradáveis .20131024_111738

 

Pomerol

Pomerol

 

A região de Pomerol fica na margem direita do estuário de Gironde. É uma pequena região que produz vinhos, com estrutura e buquê aromático com boas possibilidades de envelhecer bem. A área total de plantio é de 800 hectares, mas as propriedades são pequenas , cerca de 8 hectares , o que torna a produção limitada.

Na região de Pomerol o solo é de cascalho, areia e argila. Local ideal para a produção da uva Merlot. Cerca de 80% dos vinhedos são desta variedade. Pomerol está localizada em um platô de inclinação suave a nordeste da Libourne . Os melhores vinhos são produzidos em sua parte central onde estão localizados os Chateaux , como o Pétrus, Lafleur, Le Pin.

Na parte mais baixa estão localizados os solos mais arenosos e os vinhos são mais leves e menos potentes. Pomerol não tem um sistema oficial de classificação como outras regiões, mas seus vinhos são equilibrados, com taninos macios e grande poder de envelhecimento.Entre os destaques desta região , além do Pétrus, temos o Chateau La Conseillante, que fica  em frente ao Chateau Le Cheval Blanc e tem vinhos com textura aveludada que envelhecem maravilhosamente. Há também o Chateau L’Evangeli e o Chateau L’Eglise – Clinet com ótimo vinhos.20131024_123104

O Chateau Pétrus é sem dúvida o maior expoente da região. É feito na maioria das vezes de 100% de uva Merlot cultivada no solo de argila azulada conhecido como coração de Pétrus. Os vinhos são potentes, com taninos equilibrados e muita complexidade depois de envelhecidos. O que caracteriza também esta propriedade é que as uvas são colhidas  quase tudo n o mesmo dia.

Ao lado de Pomerol temos a região Lalande de Pomerol, com 1150 hectares de vinhedos. O solo apesar de variar um pouco entre áreas de cascalho e argila, produz vinhos semelhantes aos de Pomerol, mas com menos peso e capacidade de envelhecer. A grande vantagem desta região são os preços bem mais acessíveis do que nos vinhos de Pomerol.

20131024_121340